Publicidade:

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Especial 55 anos: O Expresso Nordeste começou assim, em Roncador

Vassilio Boiko nasceu em Prudentópolis – PR, em setembro de 1913. Ainda criança, ganhou do seu pai uma carroça e uma parelha de animais para o transporte de lenha. Depois adquiriu uma carroça maior para transportar frutas.  Já em 1945, ele começou a viajar pelos sertões vendendo medicamentos, roupas e sal. Foi economizando dinheiro e conseguiu comprar um caminhão Ford 1946, com o qual continuou no ramo de mascate.

Em 1951, Vassilio Boiko instalou um armazém na localidade do Rio Macaco, área rural do Município de Roncador, onde trabalhava com sua esposa, Verônica Boiko.

Os negócios prosperavam cada vez mais e em 1952 ele resolveu, em sociedade com o irmão, Nicolau Boiko, adquirir o Expresso Oeste, empresa constituída por dois carros Ford, com capacidade para 12 passageiros, que fazia apenas a linha Campo Mourão – Pitanga.


Em 1958, Vassilio Boiko adquiriu a parte da sociedade do irmão Nicolau e no ano seguinte mudou para Campo Mourão, onde instalou um hotel, que era ao mesmo tempo sede da Empresa, ponto de ônibus, alojamento dos colaboradores, bem como, de sua família. Nessa época adquiriu 3 ônibus e também a linha Pitanga – Guarapuava. Dois anos depois, ao adquirir a linha Goioerê – Cascavel, precisou adquirir outros 3 ônibus, que foram pagos à prestação, com muito trabalho e dificuldade.


Em 27 de junho de 1963, o senhor Vassilio Boiko, juntamente com sua esposa Verônica, satisfeitos com o sucesso, registraram a Empresa com o nome de “Expresso Nordeste Ltda”. Em 1980 Vassilio Boiko veio a falecer e então, a Expresso Nordeste passou a ser administrada por seus filhos.

A Expresso Nordeste já conquistou 52 anos de sucesso, viajando pelo Brasil, levando gente, levando história e expandindo.

Hoje a Empresa atua nos Estados do Paraná e São Paulo, nos segmentos de transporte rodoviário de passageiros, cargas e fretamento, tendo uma frota de 300 veículos, empregando direta e indiretamente mais de 1000 funcionários, possuindo mais de 130 pontos de vendas de passagens e 14 garagens utilizadas para limpeza e manutenção de veículos.

A Pousada servia como parada dos ônibus e ponto de venda de passagens. A Pousada ficava próximo do Posto Aquarius


Fonte: Expresso Nordeste