CAMPINA DA LAGOA: MAIS CONTRATOS ESTRANHOS, COM MAIS VALORES ESQUISITOS - #CentralR3 - Política, notícia, humor e opinião!!

quinta-feira, 29 de outubro de 2020

CAMPINA DA LAGOA: MAIS CONTRATOS ESTRANHOS, COM MAIS VALORES ESQUISITOS


 

Conforme a reportagem anterior, algo de grave realmente está acontecendo em Campina da Lagoa.

 

A partir das denuncias do munícipe que citamos na reportagem anterior, fomos conferir.

 

Após conversas com vereadores, funcionários da saúde e algumas pesquisas no portal de transparência, descobrimos o seguinte:

 

Quando o atual prefeito assumiu havia um posto 24 horas aberto, com toda a estrutura funcionando (e bem), além disso, o município mantinha o contrato 162/2014, no valor de R$ 88.000,00, com o hospital local para os seguintes atendimentos:

 

“Retaguarda hospitalar para o pronto atendimento municipal, visando atender consulta com observação e/ou internação 24 hs ou mais, eletivas ou de urgência e emergência, referenciados pelos serviços municipais de saúde para acolhimento e continuidade do tratamento; internações hospitalares em clínica médica, ginecologia, obstetrícia, cirurgia geral e pediatria que ultrapassarem o teto de AIH - Autorização de Internação Hospitalar sus, referenciadas pelos serviços municipais de saúde, cirurgias eletivas, bem como os exames laboratoriais e ultrassonografias e outros”.

 

O município manteve o contrato até maio de 2017, aí começam as coisas estranhas:

 

O administrador fecha o posto 24 horas que estava funcionando bem, e muda o contrato para, pelo que dá a entender, beneficiar aliados políticos.

 

O Hospital passa a atender além dos procedimentos que constavam do contrato antigo, também plantões noturnos e finais de semana.

 

A comunidade não entende o porquê de fechar o posto 24 horas junto com a farmácia que também atendia em regime de plantão.

 

De qualquer forma o contrato 87/2017, é firmado no valor de R$ 130.000,00.

 

Para justificar o aumento de valor existe a alegação de que foram inseridos no contrato os aludidos plantões.

 

De acordo com informações, quando o contrato venceu, o contratado tentou de todas as formas a renovação do mesmo, chegou a pedir um aumento de R$ 20.000,00, sem sucesso.

 

Em duas oportunidades o médico que respondia pelo contrato esteve no legislativo, pedindo apoio dos vereadores para que este contrato subisse para R$ 150.000,00. Apesar do apoio de todo o legislativo o mesmo não obteve êxito.

 

Aqui fica fácil para qualquer munícipe entender as coisas estranhas que o cidadão falou:

 

Dia 31/07/2018, o administrador que não podia pagar R$ 150.000,00 mensais para o hospital, firma um novo contrato com o mesmo hospital, uma vez que muda o arrendatário, desta vez com um novo aliado politico, e no valor de R$ 220.000,00, mensais!!!

 

Ora, mas se não podia pagar R$ 150.000,00, mensais como agora pode pagar R$ 220.000,00, mensais????

 

Isto além de estranho é desumano, porque quanta gente ficou sem o atendimento 24 horas? Antes que alguém tente explicar o inexplicável, vale salientar que o atendimento atual é só para “urgências e emergências”.

Enquanto isso a pobre população sofre sem atendimentos que não são considerados urgência ou emergência, além da falta de remédios na farmácia que só atende em horário de expediente.

 

E os R$ 220.000,00, se vão todos os meses.