Publicidade:

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Iretama: População lota Câmara para acompanhar sessão polêmica


O Executivo Municipal pretendia enfiar "goela abaixo" um projeto de lei que extinguiria todos os cargos comissionados anteriores e criaria outros 93 CC's e 40 cargos com função gratificada, ou seja, criaria os "super cargos" de Iretama. O projeto tinha previsão ainda, de criar duas secretarias, sendo a Secretaria da Mulher e a Secretaria do Meio Ambiente. De acordo com informações, com esse novo projeto, o custo anual de todos estes cargos ficariam em mais de R$ 5,5 milhões, pois reajustaria os salários em todos os níveis.

Na sessão extraordinária realizada na quarta-feira (25), o projeto foi aprovado por 7 votos contra 2. Na sessão desta quinta-feira (26), o vereador Agnaldo Borino, pediu vistas e agora o projeto deve ser reanalisado e os "super cargos" terão que aguardar um pouco mais.   

Análise dos fatos
O que se percebe em todas essas polêmicas envolvendo a Administração Wilson Bratac, é que da a impressão que alguns assessores estão querendo tomar as rédeas e o prefeito não está tendo pulso firme e já está pagando o preço, pois todos sabem que o prefeito é gente boa, pessoa humilde e tem boas intenções e talvez seja por isso que está perdendo o comando.


Talvez, o que o prefeito deva fazer é não dar ouvido para os assessores e sentar também com os presidentes dos partidos e vereadores da oposição, caso contrário, não vai conseguir administrar o Município.

Afinal de contas, se o projeto fosse aprovado, quem ocuparia a Secretaria da Mulher, a primeira dama? E a Secretaria do Meio Ambiente, o sobrinho do prefeito? E o Assessor Jurídico Especial, quem seria, algum forasteiro?

Aguardamos os próximos capítulos, sempre atentos e de olhos bem abertos!